4 situações em que a hospedagem de sites pode acabar com sua estratégia de marketing digital e como evitá-las

with Nenhum comentário

Já pensou em fazer AQUELA ação de lançamento do seu novo produto? E quando o assunto é lotar as vagas daquele curso que é sucesso garantido e que sempre esgota rapidamente? Certa vez vivi uma situação exatamente assim!  

Fizemos toda uma estratégia divulgando o dia de abertura das inscrições para um Congresso que aconteceria no Rio Grande do Sul, mas que pessoas vinham de todo país para participar. Você já parou para pensar o quão longe é viajar de Roraima para o RS?

Então, como eu falei, pessoas de todo Brasil se deslocavam para o evento e casos assim eram comuns. Quem fizesse a pré-inscrição em um dia determinado já ficava com a vaga pré-garantida e quando as inscrições abrissem precisaria somente realizar o pagamento.

No dia da pré-inscrição começamos às 9 horas da manhã. E aí todo o problema começou. 

Às 9h15 nosso site começou a sair do ar. O telefone não parava de tocar. A caixa de e-mails rapidamente ficou lotada. O bendito site não voltava. E meu coração já estava na boca – inclusive nesse dia eu percebi que provavelmente não morrerei do coração.

Comecei a ligar loucamente para a empresa de hospedagem de sites e eles só me diziam que meu chamado estava na fila e que iriam retornar quando pudessem. No final das contas, não conseguimos fazer a pré-inscrição.

A nossa sorte é que descobrimos o problema antes do dia da inscrição real oficial e conseguimos resolver os problemas para o grande dia.

Entretanto, você pode não ter a sorte que eu tive. Meu nome é Amanda Gonçalves, sou analista de performance na KingHost e é por isso que vou listar quatro situações nas quais você precisa ficar de olho na sua hospedagem de sites para evitar problemas futuros que podem acabar com a sua estratégia de marketing digital.

1 – Site sempre caindo

Se o seu site vive fora do ar você tem um grande problema. Coloque-se no lugar dos seus clientes: você ficaria tentando acessar um site que não funciona? Claro que não.

Sites que não possuem alta estabilidade, que pode ser medida pelo uptime (que significa o tempo que você fica “up”, ou seja funcionando) perdem grande parte do seu tráfego. 

Imagine que você fez uma campanha de Google Ads, disparou o email marketing e fez todo o conteúdo de social para divulgar um novo produto do seu catálogo.

Aí, na hora de vender: puff, não tem site. Além da verba perdida com a veiculação dos seus anúncios, você perde tempo de envolvimento da equipe com o projeto e tempo de vendas.

E em todos esses casos você terá um prejuízo financeiro. Por isso, fique de olho no uptime, ou seja, na estabilidade que a empresa de hospedagem de sites oferece.

Nunca aceite um uptime de menos de 99,5%. E, sem querer puxar a brasa para o meu assado, mas aqui na King você encontrará um uptime de 99,9% garantido em contrato #ficadica.

2 – Meu sonho do WordPress se tornou um pesadelo

Nós do marketing digital queremos duas coisas: performance nas nossas ações e autonomia para fazer as coisas na hora que precisamos (o job urgentíssimo que o diga).

Por isso, uma alternativa muito usada principalmente por quem é produtor de conteúdo é o WordPress. A plataforma basicamente acompanha o seu conhecimento em termos técnicos: se tiver muito conhecimento será capaz de criar estruturas extremamente complexas inclusive criando um tema do zero.

Mas, se os conhecimentos forem mais básicos, poderá partir de um tema já pronto e criar um site que atenda às suas necessidades – tanto estéticas quanto de conteúdo.

Além, é claro, de dar liberdade para fazer alterações de conteúdo sempre que necessário. O ponto alto do WP é a facilidade em usar a plataforma e a comunidade ativa, o que faz com que você encontre muito material de apoio.

Só que o sonho do site em WordPress pode virar um pesadelo se a instalação do CMS na hospedagem for mal feita ou se não forem instalados plugins importantes. O castelo pode ruir também caso não houver otimizações com foco em segurança; atualizações automáticas do WordPress e de temas e plugins ou, ainda, se as tecnologias do ambiente do servidor não estiverem adaptadas para o WP.

Por isso, Sempre dê preferência para hospedagens especializadas. Elas são otimizadas para oferecer o melhor ambiente para essa tecnologia.

3 – Site não é seguro

70% dos consumidores observam selos de segurança como fator de confiança antes de comprar em um site, é o que diz pesquisa da Conversion. Os selos ou certificados de segurança garantem que o site está protegido.

O certificado SSL, por exemplo, faz com que o caminho entre o servidor e o navegador seja seguro e que os dados sejam transmitidos de forma sigilosa.

Ele é aquele cadeado verde que aparece na barra de endereço do browser, lembra? Uma das principais vantagens é que ele conta com um criptografia avançada para garantir a segurança.

Pode parecer bobagem, mas de que adianta levar pessoas para o seu site se elas não confiarem nele para fazer compras ou dar informações? É um detalhe que, dependendo da sua hospedagem de sites, pode ser resolvido gratuitamente.

Isso mesmo, são várias as hospedagens oferecem o SSL gratuitamente para os clientes. E muitas vezes queremos informações dos usuários não só para compras, mas até mesmo numa promoção ou ação de marca para a qual informações sensíveis são necessárias.

Além do componente confiança, o certificado de segurança proporciona um melhor posicionamento de SEO para o seu site. Desde 2014 este é um fator de ranqueamento nos buscadores que faz todo o sentido, afinal de contas, eles buscam trazer a melhor experiência para o usuário.

E uma dica bônus: o SSL também faz com que você não perca dados de Analytics, sabia? Isto porque sites http podem não receber dados de referência de sites https, prejudicando as informações apresentadas no Google Analytics, por exemplo.

Entretanto, o mesmo não acontece com sites HTTPS, então, se você tiver o protocolo e um site sem ele fizer referência a você, será possível ver os dados normalmente.

4 – Site lento

E a dica de ouro: só não tenha um site lento. Quantas vezes você já quis quebrar a internet porque a página não carregava? Só que muitas vezes o problema não é na conexão, mas sim no site. 64% dos usuários tendem a deixar uma página lenta e que não carrega.

Então, imagine você que sua ação de marketing digital está veiculando maravilhosamente, as campanhas gerando cliques, a verba sendo empregada lindamente.

Porém o número de sessões do seu site não cresce. Isto porque as pessoas clicam nos seus anúncios, fazendo você pagar por eles, mas não chegam a acessar o seu site. O que podemos concluir? Isso mesmo, que o seu dinheiro está indo pelo ralo.

Por isso, analisar o seu site com ferramentas como o Google PageSpeed pode ser o início da melhora do desempenho do seu site como um todo.

Além disso, a velocidade de carregamento do site também é um fator de ranqueamento no Google. Isso mesmo, sites que demoram a responder são penalizados e acabam recebendo piores posições.

Por isso, ao escolher uma hospedagem de sites fique de olho se existe uma opção que faça armazenamento de cache para acelerar as requisições http do seu site.

Dê sempre preferência serviços de hospedagem com essa opção. Assim, o problema é resolvido mais facilmente do que com soluções externas.

Por hoje é isso. Lembre-se que o seu site é como a casa online do seu negócio. Então, ao pensar na sua estratégia de marketing digital também tenha em mente como o seu site irá conversar com ela, tá? Se quiser mais dicas fique ligado no Blog da King

Amanda Gonçalves – Analista de Performance – KingHost

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *