Como escolher um sistema de gestão comercial

with Nenhum comentário

Um sistema de gestão comercial precisa facilitar a rotina e melhorar os resultados do seu empreendimento. Ao incluí-lo na administração de uma empresa, diversos processos operacionais como gerar relatórios, elaborar orçamentos e emitir notas fiscais são automatizados e reunidos em um só lugar.

O tempo que seria gasto executando essas tarefas manualmente pode ser aproveitado para elaborar estratégias que focam no crescimento do seu negócio.

Outras vantagens que a automação comercial deve proporcionar:

  • Agilidade no atendimento.
  • Aumento das vendas.
  • Margem mais precisa de produção/aquisição de produtos.
  • Redução de imprecisão em cálculos e falha humana.
  • Autonomia de equipes e foco no cliente.

Embora os prós de dispor de um software de gerenciamento de lojas sejam evidentes, escolher um bom sistema para a sua empresa pode ser difícil, pois há diversos outros fatores que devem ser considerados antes de decidir qual implantar na sua gestão.

Calcule o custo-benefício

Há basicamente duas formas de software para automação comercial, e você precisa calcular qual se alinha melhor ao seu modelo de negócio e bolso:

  1. Software as a Product (SaaP) – uma equipe desenvolvedora é contratada para criar um sistema de automação, que será hospedado diretamente no hardware da sua empresa, e elaborar uma prática de uso exclusiva para a forma como ela opera. Neste caso, paga-se o valor de aquisição do programa, além de toda a quantia necessária para instalação.
  2. Software as a Service (SaaS) – a sua empresa contrata os serviços de automação oferecidos por uma prestadora, que cobra valores recorrentes pela manutenção do software.

O primeiro exemplo costuma ser procurado por empresas de grande porte e de alto investimento. Ao optar pelo segundo tipo, a sua empresa tem maior mobilidade no capital, por conta dos preços menores praticados pelas prestadoras, além de contar com a flexibilidade, no caso de precisar trocar de software ou acrescentar novas funcionalidades, conforme a escalabilidade do seu negócio.

Portanto, defina quais são as áreas da sua empresa que serão automatizadas e verifique on-line se há um software que disponha das ferramentas necessárias. Pensando na automação comercial, não esqueça de contar com controle de vendas, caixa, estoque, clientes e fornecedores, modelos de orçamento e geração de relatórios e estatísticas.

Verifique a disponibilidade de Suporte e de Período para Testes

Investir na automação comercial é uma necessidade. Mas os processos fundamentais do seu comércio serão migrados para um software de gestão que precisa garantir o  funcionamento correto, a fim de evitar impactos nas vendas, nas filas e na entrega do seu produto ou serviço.

Em caso de problemas, a empresa prestadora será facilmente contactada? A entrega da solução será feita com agilidade? Há reembolso?

Testar o produto antes de contratá-lo é a melhor maneira de garantir que você está em contato com a empresa ideal. Portanto, pesquise se o programa em que você está interessado oferece um período de testes, ou trial, como é conhecido.

Entre em contato com o suporte e não só com a equipe de vendas. Também não esqueça de pesquisar se há uma Central de Ajuda, com tutoriais e vídeos de primeiros passos.

Busque simplicidade nos processos

Ao definir quais são as suas maiores necessidades, você consegue filtrar quais sistemas de automação comercial atendem suas expectativas como gestor. Considere o Programa NEX! Com um sistema integrado de controle, vendas e estoque, o NEX simplifica a sua gestão com relatórios eficientes, incluindo contas a pagar e consultas remotas da movimentação da sua loja, em tempo real, através do NEXapp.

Além disso, Programa NEX não precisa de Internet para realizar todas as operações básicas do sistema, dessa forma, sua loja não deixa de funcionar se a Internet estiver instável. 

E lembre-se: o sistema de gestão faz parte das principais ferramentas de quem atua em cenários altamente competitivos, em que se precisa diminuir tempo gasto nos processos, aumentar a produtividade e minimizar o número de erros que convergem em perdas.

Esse artigo foi escrito por Edson Macari.

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *