Custo de produção: saiba como calcular

with Nenhum comentário

Custo de produção da sua empresa é algo que deve ser conhecido por você, pois essa é a única forma de garantir bons produtos ou serviços para os seus clientes. 

O objetivo do custo de produção é reduzir todas as despesas relacionadas a criação de bens e serviços do seu empreendimento. 

Portanto, reconhecer os cálculos e as diferenças entre cada custo é fundamental para a sustentabilidade do negócio. 

Pensando nisso, preparamos este conteúdo para explicar quais são esses custos e destacar as melhores formas de trabalhar com eles. Confira! 

Entenda o que é custo de produção

Se você sonha em saber como reduzir custos na empresa, então você precisa começar a analisar com mais cautela o que é consumido durante a produção dos seus produtos e serviços.

Em palavras bem simples, você precisa saber qual o custo de produção que todo o seu negócio possui. 

Isso porque o custo da produção, nada mais é, do que o valor da matéria-prima, dos bens e dos serviços que foram usados para fabricar outras mercadorias da empresa

Com essa ferramenta, é possível manter o centro de custo planilha sempre atualizado e tomar decisões assertivas que dizem respeito à sustentabilidade da sua marca, garantindo que a mesma sobreviva diante do competitivo mercado atual. 

Bacana, mas eu preciso mesmo saber os custos de uma empresa?

Precisa sim, porque é a forma que você encontrará para que toda a saúde financeira e econômica do seu empreendimento seja analisada, permitindo escolher melhores opções para produzir os seus bens e serviços a um custo menor.

E tal redução pode ser completamente benéfica tanto para o negócio, que poderá economizar dinheiro, quanto para o consumidor, que encontrará produtos e serviços mais baratos. 

Saiba qual a diferença entre custos e despesas

Uma pessoa analisando gráfico e fazendo contas com relação ao custo de produção de sua empresa.

Sempre que falamos em custos de uma empresa, automaticamente o nosso cérebro relaciona o termo às despesas da mesma. 

Porém, apesar de apresentarem semelhantes, ambos os conceitos possuem as suas diferenças. 

Os custos de uma empresa tem a ver com tudo aquilo que diz respeito à produção dos bens e serviços, como salários dos colaboradores, matérias-primas, custos da fábrica etc. 

E as despesas de uma empresa dizem respeito a todos os que são necessários para que a marca se mantenha firme, mesmo que não haja nenhuma ligação com à produção. Alguns exemplos são: aluguel e o departamento de marketing.

Conheça os principais exemplos de custo de produção

Depois de você conhecer a diferença entre despesas e custos de uma empresa, chegou o momento de descobrir quais os principais custos com o processo de produção que o seu negócio poderá passar.

Os principais são: 

1. Custos variáveis

Existem os custos fixos e variáveis. Por enquanto, vamos descobrir o que são os variáveis!

De forma resumida, os custos variáveis são aqueles que surgem de acordo com a quantidade da produção da empresa. 

Para facilitar o entendimento, se pergunte: se a minha produção aumentar, será que os custos também terão um aumento? 

Se a resposta for “sim”, então significa que você está encarando os custos variáveis, como os salários dos colaboradores que podem aumentar de acordo com o alto volume de produção. 

Por exemplo, se você possuir uma indústria de cigarros e ela tiver um custo variável de R$ 500 mil, com uma produção de 200 mil unidades, a conta ficaria mais ou menos assim: 

500.000 / 200.000 = R$ 2,5 por unidade

Com essa conta você consegue estipular o preço do produto no centro de custo planilha da empresa. 

2. Custos fixos

Certo, agora é hora de falar dos custos fixos, que basicamente é o inverso dos custos variáveis. 

Ou seja, eles estarão sempre ali, independentemente do tamanho da sua produção. Isso diz respeito ao aluguel da indústria, as contas de água e de luz, entre outros exemplos. 

Digamos que a indústria de cigarros gaste em torno de R$ 50 mil em aluguel. 

Se esse valor for dividido pela quantidade de cigarros produzidos (200 mil), teremos então: 

50.000 / 200.000 = R$ 0,25

Sendo assim, o custo fixo é de R$ 0,25 por unidade. 

3. Custos totais

Como o próprio nome indica, os custos totais têm relação com os custos integrais de uma empresa.

Portanto, nada mais é do que a soma dos custos variáveis e dos custos fixos do seu empreendimento. 

Se colocarmos em prática ainda o exemplo da indústria de cigarros, teremos a seguinte conta: 

500.000 / 50.000 = 550 mil

Para chegarmos ao valor dos custos totais médio, é necessário dividir o custo total pela quantidade de produtos produzidos. 

550.000 / 500.000 = R$ 1,1

Com este resultado, você conseguirá precificar todos os seus produtos, lembrando-se de que há a necessidade de aumentá-lo um pouco para não ter prejuízos. 

4. Custos marginais

Outro valor que você deve saber são os custos marginais, capazes de definir a quantidade de produtos que serão produzidos. 

Sendo assim, eles possuem total relação com a produção de uma unidade a mais do que é feita atualmente na sua indústria. 

Digamos que a indústria de cigarros queira produzir mais um maço, elevando a produção em 200.001 – aí entra o custo marginal. 

Para saber se vale à pena, a empresa precisa entender se o retorno será esperado por essa unidade a mais. 

5. Custos de oportunidades

Uma pessoa fazendo cálculos com o notebook aberto e lendo um papel.

O custo de oportunidade é muito esquecido por todas as pessoas, pois significa o valor que você perde por perder uma possibilidade.

Por exemplo, você pode optar por alugar ao invés de comprar uma casa, garantindo maiores retornos ao seu investimento. 

Priori e Posteriori: classificações dos seus custos

Para que você consiga saber como reduzir custos na empresa, é interessante descobrir as classificações que os envolvem, como é o caso da priori e a posteriori

Abaixo, explicaremos melhor o significado das duas determinações: 

Custos a priori

Aqui, todo o custo é colocado no centro de custo planilha, a fim de estimar os processos de produção.

Com ele, é possível compreender todos os projetos envolvidos na pré-operação, para entender melhor o fluxo de caixa da empresa. 

Não à toa, a ferramenta é uma excelente maneira de te conseguir fazer tomar decisões assertivas para aumentar alavancar a lucratividade e  a rentabilidade. 

Custos a posteriori 

Neste caso, o custo é obtido depois que o processo de produção é feito.

Sendo assim, todos os números coletados serão observados e meticulosamente analisados para realizar o processo de produção. 

Agora você tem tudo para saber como reduzir custos na empresa!

Agora que você sabe o que é e como calcular o custo de produção da sua empresa, você pode reduzir – e muito – todas as despesas dela. 

Como foi visto aqui, todos os custos devem ser calculados e analisados com muita cautela, pois caso haja algum erro nesse processo, muitos prejuízos podem ser acarretados. 

Por fim, lembre-se: o que importa é o cliente! Pois, é ele o responsável por consumir os seus produtos ou serviços.

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *