Regime de caixa: saiba o que é e qual sua diferença para o regime de competência

with Nenhum comentário

Regime de caixa é uma ferramenta da contabilidade que serve para medir a quantidade de dinheiro que a sua empresa possui. Saber gerenciá-lo é importante para que todas as contas sejam pagas em dia!

Se você é um novo empreendedor, com certeza já deve ter se deparado com os termos regime de caixa x regime de competência

Esses dois métodos garantem que a sua empresa tenha resultados impecáveis no momento de lançar os números de entrada e saída do fluxo de caixa.

Para entender melhor sobre o que estamos falando, resolvemos escrever este artigo para mostrar a diferença entre os dois, destacando quais empresas podem optar por eles. Confira!

Leia já!

Entenda o que é regime de caixa

Antes de tudo, vamos explicar o que esse termo representa!

Basicamente, essa estrutura serve para registrar todos os documentos – como receitas e despesas – que entram no caixa da sua empresa. 

É válido destacar que esse regime contábil só é contabilizado depois que as compras são realizadas.

Sendo assim, os gestores só terão que considerar aqueles valores que foram recebidos, desprezando então os registrados durante a emissão da Nota Fiscal. 

Há muita confusão quando se fala em regime de caixa e competência, e aqui iremos solucionar esses problemas logo.

No entanto, antes disso veja o conceito do regime de competência. 

Confira também o regime de competência

O regime de competência é o oposto ao mencionado anteriormente! 

Isso porque os documentos são registrados na data em que o pagamento ou a prestação de serviço foram realizados. 

Ou seja, não importa quando determinado evento será pago ou recebido, desde que o registro seja feito pela sua empresa. 

Normalmente, o regime de competência é utilizado após um mês da data determinada e que o fato que gerou as despesas e receitas ocorreu. 

Em outras palavras, na data em que a compra ou a prestação do serviço foram realizados. 

O regime competência possui duas divisões, das quais são fáceis de serem entendidas:

  1. Registro das receitas: normalmente, esse tipo de registro é feito de acordo com o período das transações realizadas com outras empresas e clientes, mesmo se o pagamento tenha sido efetivado na data estipulada ou posterior. Nesse caso, a receita é reconhecida no dia em que o contrato foi assinado; 
  1. Registro de despesa fixa e variável: a despesa fixa simboliza aquelas contas que você obrigatoriamente terá que pagar, independentemente se houver receita ou não na sua empresa, enquanto a despesa variável são aquelas que surgem de acordo com a produção de um produto ou serviço. Essas despesas são registrar a partir do momento em que os valores ativos passam a deixar de existir. 

Tendo clara a divisão do regime competência, fica mais fácil aplicar em seu negócio. 

Qual a diferença entre regime de caixa e competência?

Apesar de ser óbvio, muitas pessoas ainda se confundem e ficam na dúvida na hora de escolher regime de caixa ou competência. 

Por isso, é importante que a diferença entre os dois seja apresentada de forma simples e de fácil compreensão. 

O que difere o regime de caixa e de competência é que, no primeiro, os gestores devem considerar apenas a data em que o dinheiro entrou ou saiu do fluxo de caixa do negócio. 

Já no segundo é preciso ficar atento à data de compra, venda e prestação de serviço para manter o caixa sempre de acordo com o esperado. 

Nossa, e é só essa a diferença entre os dois?

Isso mesmo! Fácil de entender, não acha? 

Saiba a importância do fluxo de caixa

Uma pessoa fazendo contas com relação ao regime de caixa.

Bom, agora que você aniquilou a ideia de “regime de caixa x regime de competência”, chegou o momento de apresentarmos a importância do fluxo de caixa para esse tipo de regime contábil. 

A partir do momento que você opta por esse regime, se torna obrigatório que as atividades sejam registradas constantemente para que o correto funcionamento do fluxo de caixa. 

Isso porque o fluxo de caixa permitirá o correto controle de todo o dinheiro que entra e sai do seu empreendimento. 

Além disso, é essa ferramenta que você poderá usar para se basear ao se perguntar: “Será que essa conta foi paga? Eu já recebi por esse serviço? Quanto eu preciso receber por essa venda?”.

Afinal de contas, todo o registro é fundamental para que os impostos sejam pagos somente uma única vez, respeitando o formulário da Receita Federal. 

Portanto, por meio do dessa forma fica nítida a importância do não pagamento dos impostos cobrados por certos valores não recebidos. 

Fora isso, é uma excelente maneira de recorrer cheques sem fundo ou calotes de clientes. 

Aprenda quais empresas podem optar pelos regimes de competência e caixa

Uma calculadora com informações de datas e gastos ao fundo.

A essa altura do campeonato, você com certeza deve estar se perguntando: “Será que a minha empresa pode fazer o regime de caixa e de competência?”. 

Para isso, nós temos uma resposta curta e objetiva. 

Caso o seu empreendimento seja micro ou pequeno, ou tenha adotado o Lucro Presumido e o Simples Nacional, você então está liberado para optar por esse regime.

Isso porque ambos os regimes garantem que você tenha um comprometimento menor com o fluxo de caixa da sua empresa. 

Além desse fato, em qualquer um dos dois o seu negócio pode ter valores tributados do caixa. 

Contudo, a principal vantagem do regime competência é permitir que você visualize com clareza como anda a parte financeira do seu negócio. 

Além disso, o regime de competência auxilia para que você saiba se o modelo de negócios seguido por você faz realmente sentido ou não. 

Desse modo, essa ferramenta faz uma avaliação para medir se vale ou não à pena continuar a produção de produtos e realizando serviços.

Afinal, os dois regimes verificam se você se está tendo os lucros para pagar toda a despesa fixa e variável.

Entendeu a diferença entre os dois? Então seja amigo da contabilidade!

Agora que você sabe diferenciar regime de caixa e competência, está livre para potencializar os resultados do seu empreendimento. 

Afinal, como o próprio nome já diz, esse regime está intimamente conectado ao fluxo de caixa que, por sua vez, é um demonstrativo do dinheiro que a sua empresa possui. 

Com ele, você garante maior liquidez – pagamento de dívidas – e rentabilidade com lucratividade sustentável. 

Portanto, não perca mais tempo: faça a sua escolha entre os dois para que todas as despesas do seu negócio sejam pagas da melhor forma possível.

Bons negócios! 

Compartilhe nas redes sociais!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *