Indústria 4.0 no Brasil: Aspectos e impactos positivos do setor econômico

//Indústria 4.0 no Brasil: Aspectos e impactos positivos do setor econômico

Por: . Publicado: 26 de fevereiro de 2019 | Atualizado: 9 de maio de 2019.

Muito se diz a respeito da indústria 4.0, mas qual é o seu real impacto na manufatura do país? Confira aqui, ao longo deste post!

O setor econômico, atualmente, é fortemente influenciado por adventos tecnológicos que contribuem com o sistema produtivo. Nesse contexto, a manufatura tem sido amplamente agraciada com os pilares da indústria 4.0 aplicados no dia a dia.

Afinal de contas, as inovações tecnológicas têm agregado mais produtividade às empresas. E, quando estrategicamente planejadas, elas permitem uma redução de custos significativa, bem como um direcionamento mais preciso às responsabilidades e atividades dos seus recursos humanos.

Só que, para muitos empreendedores, a indústria 4.0 permanece um grande mistério, excluindo, com isso, boas oportunidades de negócio. E é por isso que vamos apresentar, neste post, os aspectos e impactos positivos do setor econômico da indústria 4.0 no Brasil. Boa leitura!

O que é a indústria 4.0?

Para começarmos, um breve resumo do conceito de indústria 4.0: trata-se da quarta revolução industrial, antes motivada pelas máquinas a vapor, a produção em escala e a energia elétrica.

Agora, os meios digitais invadiram as nossas rotinas — e a manufatura industrial não é exceção. Ao redor do mundo, as soluções tecnológicas já são usadas em peso, permitindo mais planejamento e oportunidades às empresas.

Daí a importância em adiantar-se e gerar diferenciais competitivos para o seu negócio. No país, muitos empreendimentos ainda vivem na internet 1.0 — um conceito que define aqueles que ainda utilizam o universo on-line apenas como uma ferramenta coadjuvante e/ou optativa.

Por que investir na indústria 4.0 para o setor de manufatura?

Mais do que uma maneira de distanciar-se dos concorrentes, a indústria 4.0 chega também como uma resposta à demanda gerada pelo consumidor ao longo das primeiras décadas do século 21. Alguns exemplos:

  • as inovações tecnológicas modificaram o comportamento do consumidor (e foram moldadas a partir dessa mudança), exigindo novas abordagens para impactar velhos consumidores;
  • a personalização gerada pelas soluções tecnológicas trouxe respostas para necessidades e objetivos exclusivos, facilitando a tomada de decisão para os empreendedores;
  • o isolamento analógico também isola as empresas de um bom relacionamento com o seu público-alvo;
  • o investimento em tecnologia também se traduz em redução de custos, minimização de erros no fluxo de trabalho e no aumento de vendas.

Isso tudo também agrega mais flexibilidade às empresas, mas em um profundo alinhamento com as transformações ocorridas — e as recorrentes — no mercado. A indústria 4.0, assim como as três revoluções anteriores, não é uma tendência passageira.

Qual é o impacto da indústria 4.0 no setor econômico do país?

A ideia básica é que, para o setor de manufatura, exista um equilíbrio entre o atual uso de produção (equipamento e mão de obra) com relação à demanda. Automatizar processos, por exemplo, tendo em vista o ganho produtivo e a utilização estratégica dos seus profissionais.

Assim, elimina-se a necessidade de trabalhos mecânicos e repetitivos. Algo que agiliza o processo, como um todo, e também reduz os erros humanos nesse fluxo.

Ao redor do mundo, essa nova relação já tem se intensificado. E, contrariando os pessimistas, não se viu uma debandada de trabalho humano em decorrência do uso de novas tecnologias.

Pelo contrário: o que se busca, agora, são profissionais que reciclem os conhecimentos e consigam trabalhar em sinergia com a automação de processos, a internet das coisas e as realidades aumentada e virtual, entre outras soluções.

Há, portanto, uma perspectiva mais ampla e flexível para que a manufatura da indústria 4.0 gere mais renda, produtividade e mobilidade às empresas — independentemente do seu porte ou ramo de atuação —, mas com o uso racional de recursos. Imagine, agora, o impacto disso para o setor econômico em geral?

Quais são os desafios para o Brasil ingressar nesse cenário de desenvolvimento?

Vale destacar que muitas empresas brasileiras ainda não adentraram, definitivamente, no contexto da indústria 4.0. Seja por:

  • questões financeiras;
  • desatenção ao momento do mercado;
  • falta de planejamento para a transição;
  • desconhecimento de novas tecnologias.

Não por menos, muitos empreendimentos ainda sequer estão cientes de estratégias mais acessíveis e que demandam menos tempo de implementação. É o caso do marketing digital para indústrias, que é um bom primeiro passo para alinhar os objetivos e necessidades da empresa às principais tendências atuais.

Claro que isso mantém inalterado o fato de que o Brasil deve buscar alternativas para propor um alinhamento efetivo à indústria 4.0. Pois, como adiantamos, a revolução chegou para ficar.

E é com base nessa perspectiva necessária por mudanças que vamos apontar, abaixo, algumas tecnologias que você pode manter um olhar atento e, assim, iniciar a transformação digital na manufatura da sua indústria. Confira:

  • Internet das Coisas (ou IoT, do termo em inglês Internet of Things), que agrega mais imersão e interatividade com as tecnologias. Sem falar em maquinários que geram a automação de tarefas da manufatura, agregando mais agilidade e imunidade contra riscos e imprevistos;
  • Business Intelligence, ou BI, que é o trabalho estratégico de automatizar a absorção e análise de dados gerados pelo tráfego on-line, explorando novas possibilidades para atrair, relacionar-se e vender mais para o seu público-alvo;
  • marketing digital, explorando as principais soluções tecnológicas para entender o comportamento do seu consumidor e, assim, identificar novas maneiras de impactá-lo;
  • computação móvel, que é o uso de soluções na nuvem, por exemplo, minimizando a necessidade de servidores robustos, na sua indústria, trazendo mais mobilidade e flexibilidade para o seu negócio.

Existem, ainda, outras possibilidades e tecnologias que fazem parte da indústria 4.0, e que podem ser perfeitamente balanceadas com as suas particularidades e objetivos.

Não à toa, essa nova revolução vem acompanhada de um elevado grau de personalização. Uma maneira eficiente e flexível para você investir em curto, médio e longo prazo.

Para finalizarmos, é importante mencionar os benefícios em aprofundar-se na indústria 4.0, dentro da sua manufatura. Entre os principais, a redução de custos é sentida, ao longo do tempo. Principalmente, por conta da possibilidade de gerar mais produtividade.

Essa proporção permite alçar novos parâmetros, objetivos e metas para a sua empresa. Agora, para que você tenha mais dados para a sua tomada de decisão, e verificar os potenciais benefícios de investir na indústria 4.0, convidamos você a ler outro artigo nosso, que aponta as grandes novidades dos setores da indústria no Brasil!

2019-05-09T11:56:45+00:00

Faça um Comentário