Marketing em tempos de crise: investir ou cortar?

Crises econômicas são preocupações para toda e qualquer empresa e este cenário levanta discussões sobre a questão do investimento em marketing em tempos de crise.

 

marketing em tempos de crise

 

Nos últimos anos muitas empresas perceberam que seus resultados foram afetados e, de alguma forma, sentiram efeitos negativos nos seus negócios. Na maioria das vezes, essa situação leva as empresas a adotarem uma posição mais defensiva, repensando completamente a sua estratégia e cortando custos que acreditam ser desnecessários.

 

Reduzir custos que não trazem retorno para o negócio é muito importante. Porém, a área de marketing é uma das primeiras e mais afetadas durante a crise quando o assunto é cortes de investimentos e até mesmo de pessoas. Mas será que o marketing em tempos de crise é realmente o vilão? Continue lendo o artigo para saber mais sobre:

 

Por que o setor de marketing em tempos de crise é um dos mais afetados?

 

A resposta é simples: muitas empresas ainda não enxergam a real importância das estratégias de marketing, com isso, veem o marketing como despesa e não como investimento.

 

A forma como uma área de marketing trabalha e se posiciona afeta diretamente todos os resultados de uma empresa. E isso influencia ainda na percepção da empresa sobre a sua função, mesmo quando o marketing em tempos de crise está preses a ser cortado.

 

Por isso é essencial ter uma equipe de marketing que se baseie em estratégias assertivas e gerem retornos positivos para a empresa.

Marketing como despesa x Marketing como investimento

 

O marketing em tempos de crise é essencial para melhorar os resultados de uma empresa. Podemos considerar que existem dois tipos de marketing: aquele que atua sem planejamento e resulta em despesa para a empresa e o que planeja e torna-se investimento.

 

O marketing que gera despesa costuma se preocupar apenas com métricas e estratégias que não estão diretamente vinculadas aos resultados de vendas da empresa, ou seja, não geram receita para o negócio e pensa apenas na construção de marca de forma imensurável, tem efeito apenas a longo prazo e não executam ações para o presente.

 

Ao contrário disso, uma área de marketing que se posiciona como investimento, possui entregas claras e impactam de forma direta no fechamento de negócios da empresa, afinal elas geram leads (potenciais clientes), entregam oportunidades de negócio para o time de vendas e trabalham constantemente o relacionamento com o lead ou cliente efetivo.

 

Com certeza, em um momento de crise, uma empresa irá priorizar o corte daquelas atividades que não possuem influencia direta em seus resultados finais, deixando o marketing que se encaixa na primeira situação muito mais propenso a sofrer cortes. Afinal, sem a entrega de dados claros, fica mais difícil relacionar ações e resultados.

 

Já o marketing que visa e age em torno de resultados positivos para a empresa, ou seja, planeja, executa, mensura e acompanha o andamento do processo, se torna um investimento fundamental para a empresa, principalmente em tempos de crise, afinal ele permite que a empresa continue crescendo de forma próspera.

 

marketing-digital-na-industria

As diferenças entre os dois modelos

 

1) A forma como marketing realiza o planejamento das suas ações

 

Marketing como despesa: realiza todo o seu planejamento pensando apenas nos gastos que vai gerar para a empresa, como gastos com campanha, desenvolvimento de materiais e feiras, mas sem um planejamento elaborado de antemão. E dessa forma, toda e qualquer estratégia aplicada, torna-se equivocada e não geram lucro para o negócio, pois não têm uma base para se apoiar. Na maioria das vezes, não apresenta nenhum tipo de perspectiva de retorno financeiro e não planeja o quanto espera atingir com cada uma das ações.

 

Marketing como investimento: planeja cada tipo de investimento que será feito durante o ano e os retornos trazidos. Cada ação que será desenvolvida é pensada para um retorno claro e próspero para a empresa.

 

Pode parecer apenas um detalhe, mas, na verdade, o planejamento é de extrema importância para toda a empresa e é algo visto pelos principais tomadores de decisão na hora de fazer análises de negócio.

 

2) A forma como são mensurados os resultados obtidos

 

 

Marketing como despesa: mensura seus resultados errados, ou seja, não tem visão clara de quais métricas são necessárias para realmente entender o retorno das ações efetuadas. Um exemplo disso é apresentar resultados de uma campanha no Facebook baseados apenas no número de curtidas, compartilhamentos, cliques e etc, o que não mostra para a empresa o quanto ela gerou em negócios com esse investimento, mostra apenas o engajamento dos usuários com sua empresa.

 

O mesmo acontece com ações do marketing tradicional, indicando quantas pessoas foram impactadas por um anúncio, por exemplo. Ao apresentar resultados que não afetam os ganhos da empresa, o marketing se torna muito mais frágil.

 

Marketing como investimento: todas as ações realizadas são medidas de acordo com os ganhos trazidos ao negócio. A partir destes dados é possível apresentar resultados que demonstram o quanto o marketing é importante para o funcionamento da empresa.

 

Desta forma, se a empresa decide cortar o marketing em tempos de crise é possível verificar o impacto em vendas em questão de pouco tempo.  Ao conseguir ter uma visão exata sobre suas entregas e resultados gerados, fica mais fácil encontrar onde a empresa está errando e deve otimizar suas ações.

 

Algumas das métricas mais importantes são: Custo de Aquisição de Clientes (CAC), Custo de Aquisição de Oportunidades e Retorno sobre Investimento (ROI).

 

3) A verba destinada para a área

 

Marketing como despesa: o investimento destinado para a área é fixado normalmente no início do ano. Assim, as ações realizadas precisam ser todas pensadas dentro dele, independentemente dos resultados que serão alcançados.

 

O pouco vínculo entre gastos e entrega deixa a impressão de que o valor é usado em gastos superficiais, e assim ele poderá ser cortado sem prejudicar os resultados.

 

Marketing como investimento: neste caso, o ROI está tão ligado ao resultado que o investimento irá aumentar na mesma proporção em que a empresa deseja crescer. Há flexibilidade para ajustar quando tudo está funcionando bem.

 

As vantagens de pertencer a uma área de marketing que é vista pela empresa como um investimento também influencia na credibilidade dos profissionais que fazem parte dela. Isso afeta não apenas nos resultados da empresa, mas na forma como a área de marketing é percebida por pessoas externas.

Ou seja, invista na assertividade de marketing em tempos de crise

 

É sempre importante lembrar que o principal objetivo de uma área de marketing é trazer resultados e ajudar um número maior de pessoas a comprarem o seu produto ou serviço. Se o marketing não está fazendo isso, é mais difícil manter os investimentos em períodos de crise e até outros momentos.

 

Mas se a sua equipe de marketing está focada em planejar, mensurar resultados corretos, acompanhar constantemente as ações e campanhas efetuadas, sua empresa pode ter resultados prósperos, tornando fundamental o investimento no marketing em tempos de crise.

 

marketing-digital-na-industria

 

Na sua empresa você utiliza o marketing em tempos de crise como investimento ou como despesa? Compartilhe o conteúdo com suas redes sociais:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *